o museu

Esta é a casa de “todos os povos”: assim está inscrito sobre a fachada da antiga sinagoga que agora acolhe este Museu

Fruto de uma iniciativa da sociedade civil acalentada por quase duas décadas, o Museu Judaico de São Paulo (MUJ) abre suas portas visando cultivar as diversas expressões, histórias, memórias, tradições e valores da cultura judaica, em diálogo com o contexto brasileiro, com o tempo presente e com as aspirações de seus diferentes públicos.

 

Amparado por um programa cultural e participativo que entrelaça a experiência judaica à cultura brasileira e à arte contemporânea, o MUJ nasce comprometido com a coexistência entre os variados grupos sociais e identidades, com o combate à intolerância e ao preconceito, com a educação e a transmissão intergeracional, valores a um só tempo universais e judaicos.

 

Instalado em um edifício tombado pelo patrimônio municipal e guardião do maior acervo judaico do país, constituído integralmente por doações, o MUJ considera a memória como fenômeno vivo, fonte de resistência e sobrevivência, em permanente transformação.

 

Que esta casa possa ser templo de inspiração e fórum de debate, lugar de encontro entre identidade e alteridade, espaço que conecta histórias e cria tranças entre um passado, um presente e um futuro partilhados coletivamente.

nossa missão
O Museu Judaico de São Paulo cultiva e mantém vivas as diversas expressões, histórias, memórias, tradições e valores da cultura judaica, em diálogo com o contexto brasileiro, com o tempo presente e com as aspirações de seus diferentes públicos.

nossa visão
Conectar o público brasileiro à cultura judaica para a construção de uma sociedade justa e plural.

o templo beth-el

Em 1928, um grupo de imigrantes vindos da Europa convidou o arquiteto Samuel Roder para conceber uma sinagoga.

Projetado no estilo bizantino, o prédio do Templo com seus sete lados, enfatiza os sete dias da Criação, as sete cores do arco-íris. Durante décadas, ali gerações celebraram suas datas especiais. Em 2004, o Beth-El passou, em comodato, as instalações para o Museu Judaico de São Paulo. A exemplo de outros museus pelo mundo, que tiveram sua origem em sinagogas, o espaço passa por uma ampla reforma, que preserva o ambiente original e amplia seu objetivo, perpetuando a memória daqueles que viabilizaram o núcleo inicial. Desde então, a comunidade Beth-El tem sua sede na Rua Caçapava 105, Jardins.

diretoria

Sergio Daniel Simon
Presidente

 

Moshe Boruch Sendacz
Vice-Presidente e Diretor de Assuntos Jurídicos

 

William Kern
Primeiro Tesoureiro

 

Eduardo Groisman
Segundo Tesoureiro

 

Roberta Alexandr Sundfeld
Diretora Executiva

 

Rosaly Chansky
Diretora de Marketing

 

Marcelo Nudelman
Diretor de Obras

 

Ruth Sprung Tarasantchi
Diretora de Acervo

 

Tania P. Tarandach
Diretora de Relações Institucionais

conselho fiscal

Eduardo Groisman

 

Gilson Finkelsztain

 

Roberto Luiz Leme Klabin

suplentes

Fábio Alperowitch

 

Fábio Zaclis

 

Michael Edgar Perlman

diretoria executiva

Felipe Arruda
Diretor Executivo

 

Roberta Alexandr Sundfeld
Diretora de Acervo e memória

 

Marianna Bomfim
Diretora de Administrativa e Financeira

 

Marília Neustein
Diretora de Comunicação

 

 

Christopher Mossey
Diretor de Desenvolvimento Institucional

conselho consultivo

Adriana Feffer Skaf

 

Celso Lafer


Claudia Maria Costin


Claudio Luiz Lottenberg


Daniel Feffer


Daniel Leon Bialski


David Cyrtynowicz


David Safra


Dennis Benchimol Minev


Eduardo Saron Nunes


Elena Landau


Esther Hamburguer


Henri Philippe Reichstul (Presidente)


Ilan Goldfajn


Ines Bogea


José Luiz Goldfarb


José Roberto Marinho


Joyce Pascowitch


Lia Diskin


Luciana Temer


Luis Cláudio Garcia De Souza


Luiz Kignel


Marcelo Mattos Araújo


Marcelo Nudelman


Marcos Kisil


Maria Luiza Tucci Carneiro


Mário Arthur Adler


Milton Selligman


Nancy Rozenchan


Octávio Aronis


Pedro Machado Mastrobuonno


Renata Bittencourt


Renata Motta


Rosaly (Dodi) Chansky


Rosane Borges


Ruth Taransantchi 

conselho deliberativo

Daniel Reichstul

Dora Lucia Brenner

Salo Davi Seibel

Sergio Daniel Simon

Sergio Gusmão Suchodolski

Sergio Napchan

Moshe Sendacz

William Kern

honra

ouro

prata

bronze

apoio

idealização/realização